OS INDÍGENAS 
XUKURU-KARIRI 
DA MATA DA CAFURNA

Relações Socioambientais no 
Semiárido alagoano

Mary Hellen Lima das Neves

Esta obra é sobre o território indígena da Aldeia Mata da Cafurna habitada pelo povo Xukuru-Kariri em Palmeira dos Índios/AL, Semiárido alagoano, tendo como objetivo compreender a importância da ocupação deste território para os indígenas, bem como os significados das relações socioculturais que estabeleceram com o Ambiente no acesso e utilização dos recursos naturais, entre 1979 e 2016. A área da referida Aldeia foi retomada em 1979 e após um longo processo jurídico foi regulamentada um total de 620,6 ha, abrigando cerca de 150 famílias e em média 812 pessoas, segundo dados internos dos habitantes referente ao ano de 2018. Estes constituem suas moradias, produzem parte de sua base alimentar, praticam os rituais religiosos e procuram assegurar o equilíbrio com o Ambiente e com isto, afirmam-se identitária e socioculturalmente. Outra aldeia era habitada pelos XukuruKariri antes da Aldeia Mata da Cafurna ser retomada, a Fazenda Canto, mas com o passar dos anos sua população cresceu consideravelmente e a quantidade de terras disponíveis naquele espaço tornou-se insuficiente para assegurar as mínimas condições de sobrevivência para aquelas famílias, o que desencadeou conflitos e novas retomadas territoriais, sendo a primeira delas a Mata da Cafurna. A pesquisa foi realizada no campo da História, a partir de conceitos, além de documentos oficiais do processo de reconhecimento da citada terra indígena, acervos documentais particulares e pesquisas consolidadas sobre os Xukuru-Kariri; sobretudo, entrevistas com os indígenas habitantes na Aldeia, principalmente os anciãos e com não índios que participaram em vários momentos da trajetória histórica local. O estudo está também ancorado nas reflexões da História Ambiental que procura discutir as relações históricas dos grupos humanos com o Ambiente tendo como aportes teóricos as pesquisas realizadas, e como principal característica a interdisciplinaridade, possibilitando que diversas áreas de conhecimento dialoguem de forma ampla.