3D - 16X23 - CAPA LIVRO - 93.png

Interconexões do

PIBID UNICAP: inovação, experiências e diálogos

 

Flávia Tavares da Costa Ramos

Maria do Carmo Sousa Motta

Gerson Francisco de Arruda Júnior

Helder Remigio de Amorim

(Organizadores)

Todos sabemos o quanto a formação de professores é um processo complexo, exigente e árduo. É complexo porque envolve um conjunto de aspectos não muito fácil e simples de serem entendidos. É exigente porque requer dedicação e esforço. E é árduo porque o caminho a ser percorrido impõe várias dificuldades que deverão ser superadas. O que, num certo sentido, faz com que o processo de formação docente seja assim caracterizado é o conjunto de dimensões humanas que se deve levar em consideração para que ele seja efetivado. Ou seja, engana-se quem pensa que apenas aspectos cognitivos e epistêmicos devem ser ressaltados, sem considerar os aspectos acadêmicos, políticos, sociais, culturais, éticos, religiosos, etc., que também são igualmente importantes no processo de formação. Contudo, apesar de se reconhecer esse campo abrangente e amplo, tal processo não deve, por outro lado, ser realizado de modo forçado ou com imperativos que neguem a autonomia dos sujeitos envolvidos, mas deve ser construído de maneira leve e prazerosa, sendo concebido como uma instância quase que natural e espontânea. Para que isso ocorra, porém, é necessário que o espaço de desenvolvimento do processo de formação docente seja um ambiente no qual a construção do conhecimento permita que tais dimensões sejam de fato consideradas e, assim, várias interfaces e interconexões sejam concretizadas. Foi exatamente a partir de reflexões sobre essas  indispensáveis Interconexões que a Universidade Católica de Pernambuco pensou, projetou e realizou mais uma edição do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência – PIBID, em íntima associação com o Programa de Residência Pedagógica, durante o período de agosto de 2018 a janeiro de 2020. O propósito principal que regeu todo esse empreendimento foi o de possibilitar que o processo de formação docente das licenciaturas da UNICAP tivesse como eixo central um dos pilares de sua proposta pedagógica – eixo esse que irá nortear todo o novo projeto da Escola de Educação e Humanidades da UNICAP –, que é a constante busca de valorização da formação inicial e continuada de docentes. Isso tudo possibilitou que oito cursos de Licenciaturas da UNICAP (Pedagogia, Letras, História, Filosofia, Matemática, Física, Química e Biologia) se movimentassem na direção de estabelecer um contexto de formação de professores bastante promissor, baseado numa proposta dinâmica de práticas pedagógicas inovadoras no âmbito educacional. Além disso, é importante ressaltar que tais práticas buscaram uma maior interface entre as dimensões teóricas e práticas do desenvolvimento do processo formativo docente. Nesse caso, todas as experiências vividas nos subprojetos dos Programas PIBID e Residência Pedagógica resultaram num impulso e numa grande motivação e abertura para novas formas de aprendizagem. O que o leitor encontrará nas páginas que seguem é um breve testemunho e uma amostra de como se deu tudo isso. Não nos foi possível abranger todas as atividades realizadas no âmbito dos dois Programas nem de todas as licenciaturas. Contudo, os relatos que aqui encontramos, são suficientes para expor as múltiplas e facetadas dinâmicas desenvolvidas. Inicialmente, somos impactados com os relatos das experiências do PIBID de Letras. Nelas encontramos uma rica demonstração da vivência pedagógica do Programa, a qual se configurou pelas vias de abordagens literárias para o ensino da língua portuguesa (onde se assumiu a literatura como mecanismo pedagógico) até a relação ensino-aprendizagem dos gêneros textuais, passando pela proposta de letramento e multimodalidade como estratégias de ensino. Um destaque importante nessas experiências foi a ênfase dada em elementos linguísticos, socioculturais e éticos.Na sequência, encontramos os relatos das experiências do PIBID de Matemática, no qual temas importantes do ensino da matemática foram apresentados e discutidos. Considerou-se a aplicação das ferramentas de ensino, a utilização do raciocínio lógico e dos jogos lúdicos no ensino fundamental, e as novas práticas didáticas para o ensino da matemática. O terceiro bloco de relatos reuniu as experiências vivenciadas pelo PIBID e pelo Residência pedagógica de filosofia. O cerne dessas experiências se concentrou nas reflexões acerca da relação teoria e prática na formação docente, e a importância do PIBID para a formação do professor de filosofia. Por fim, nos deparamos com as descrições das experiências e relatos do PIBID de história. Várias foram as linhas de discussão e diálogo, considerando temas que abrangeram desde aprendizagens e desafios da inovação do ensino e a educação e as tecnologias digitais como instrumento de ensino das ciências humanas, até questões relacionadas ao desafio de ensinar história através das literaturas indígenas. Nesse ínterim, merecem destaque a experiência de publicação do jornal historicizando no PIBID e o Projeto Mitologia: religiões, culturas e crenças. Dito isso, e como se percebe, cada uma dessas experiências é singular e, por isso mesmo, merece ser lida. É nessa certeza que desejamos que todos tenham uma boa leitura e possam ser beneficiados pelos relatos aqui apresentados.

Flávia Tavares da Costa Ramos

Maria do Carmo Sousa Motta

Gerson Francisco de Arruda Júnior

Helder Remigio de Amorim

(Os Organizadores)

ISBN: 978-65-87192-49-9
311 Páginas