3D_edited.png

POLÍTICA DE FORMAÇÃO DE SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS BRASILEIROS:

UM ESTUDO EXPLORATÓRIO NO CONTEXTO DO INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL

KAROLINA VYVYAN LOPES DA SILVA

A investigação incide sobre a Política de Formação desenvolvida nas instituições públicas federais brasileiras, em específico no Instituto Nacional do Seguro Social – INSS, tendo por objetivo geral compreender a concepção de formadores do INSS acerca da formação em que estão envolvidos e a relação que se estabelece entre aquela concepção e a prática formativa destes sujeitos. A população pesquisada compreendeu os formadores que atuam em ações formativas na modalidade presencial, em abrangência local/regional/nacional; além de formandos, numa amostra que se intencionou heterogênea num propósito de representar este Órgão, marcado pela capilaridade e pluralidade contextual. Para o levantamento de dados optou-se pela realização de entrevistas e observação participante. Foi ainda realizada análise documental de quatro normativos, sendo os Decretos nº 2.794 de 1º de outubro de 1998, nº 5.707 de 23 de fevereiro de 2006 e nº 9.991 de 28 de agosto de 2019, os quais instituem a Política e as Diretrizes para o Desenvolvimento de Pessoal da Administração Pública Federal Direta, Autárquica e Fundacional; além do Projeto Político Pedagógico do INSS, que norteia a política de formação promovida no âmbito do Instituto. A análise dos dados foi realizada através de procedimentos de Análise de Conteúdo Categorial Temática. A pesquisa possibilitou compreender as concepções de formação expressas nos discursos e normativos que enquadram as ações formativas do INSS; bem como a lógica de formação subjacente à prática formativa dominante no processo de formação do INSS e seus impactos nas ações/opções pedagógicas formativas. Além de verificar como os modelos de administração pública brasileira interferem nos modelos de formação, e o que isso representa para o processo formativo [e para seus sujeitos diretos e indiretos] neste contexto, as considerações geradas pela presente investigação vêm agregar valor ao cenário da formação profissional no Brasil, considerando que foi possível identificar as influências determinantes e os critérios adotados na tomada de decisão em relação à Política de Formação de Servidores Públicos Federais Brasileiros e, por conseguinte, as consequências na definição da lógica que regula a formação no contexto da administração pública federal. Em longo prazo, no que se refere a aspectos mais práticos, há uma expectativa de que esta investigação venha contribuir para a construção de um Programa de Formação dos Formadores do INSS, tendo em conta “o (re) pensar” sobre este processo formativo, a partir dos contributos de atores diretamente envolvidos, no tocante à definição das políticas e metodologias de formação no INSS.

 

ISBN: 978-65-81450-72-4 - VERSÃO DIGITAL
145 PÁGINAS

 

Um pouco sobre o Autora: Karolina Vyvyan Lopes da Silva é doutoranda no Programa Doutoral de Ciências da Educação na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação na Universidade do Porto – PT. Possui Mestrado em Ciências da Educação pela mesma faculdade, onde desenvolveu uma investigação acerca das Políticas de Formação de Servidores Públicos Federais Brasileiros. Karolina Vyvyan é especialista em Filosofia, Estudos Culturais e Pesquisa em Educação e também em Avaliação, ambas pela Universidade do Estado da Bahia- UNEB. Graduada em Pedagogia com Habilitação em Magistério das Matérias Pedagógicas do 2º Grau, pela UNEB, ingressou na área da Educação em 1991, por meio de concurso público junto à Secretaria de Educação do Estado da Bahia, onde atuou como docente no Ensino Fundamental e Médio, como coordenadora da área de conhecimento “Linguagem, Códigos e suas Tecnologias” e na coordenação de estágio nos Cursos de Magistério de 1º grau. Retorno à UNEB, no período de 2003 a 2008, na condição de docente nas Licenciaturas de Pedagogia e Letras e, em paralelo, lecionou em algumas faculdades particulares do oeste baiano. Neste contexto, atuou como coordenadora substitua do Colegiado de Pedagogia, e na coordenação de Projetos de Pesquisa e Extensão, a exemplo do Programa Rede UNEB 2000 [foco na formação inicial de professores e professoras das redes municipais] e Programa de Profissionalização dos Trabalhadores da Área de Enfermagem [foco na Educação na Alfabetização de Adultos]. Dentre os principais temas de interesse, de engajamento didático-pedagógico e de pesquisa estão: Formação de Professores, Educação de Jovens e Adultos e Educação Profissionalizante. Atualmente trabalha na área da Pedagogia Organizacional, desde 2008, como formadora no âmbito da administração federal, em específico no Instituto Nacional do Seguro Social – INSS, onde tem a função de Analista do Seguro Social com Formação em Pedagogia. No INSS tem participado do desenho metodológico e da formação de servidores e gestores públicos, nas modalidades: presencial e à distância. Ainda nesta conjuntura, participou da elaboração do Programa de Mentoria Interna, da construção do Projeto Político Pedagógico da Instituição, dos Workshops de Competências Gerenciais e da Formação da Equipe de Educação da Regional Nordeste.