3D - 01.png

DISCUTINDO E REESCREVENDO A GEOGRAFIA AFRO-BRASILEIRA:

relatos de alunos do Curso de Geografia

 UNEAL/Campus III

ANA CRISTINA DE LIMA MOREIRA (Org.)

Nossa Universidade Estadual de Alagoas -UNEAL, ainda é muito jovem! Mas isso não a impede que enfrente os desafios da modernidade, visto que sempre proporciona aos (as) seus (suas)   alunos (as) e a sociedade  debates  pertinentes  às  questões que  envolvem às lutas sociais. Dentre elas, pode ser destacada a luta pela conquista ao DIREITO HUMANO, que é estabelecido e garantido pela Carta Magna, ou seja, a Constituição de 1988.Assim sendo, o objetivo desse livro não é apresentar grandes artigos, nem buscar muitas referências mesmo sendo trabalhadas em sala de aula e sim, relatos dos alunos que cursaram a disciplina obrigatória Sociedade Afro-brasileira, que foi ministrada por mim, na modalidade virtual nos períodos 2020.1 e 2021.1 (Classorron Google Meet). Durante as aulas foram discutidos diversos temas tendo o aporte teórico Freyre(2015), Holanda (2010), Mattos(2015), Munanga (1996), Munanga (1996), Valente(1996), Anjos (2000), bem como artigos e dentre outros alicerçados sob à luz da Lei 11.645/2008 que determina que seja oferecida a obrigatoriedade da Disciplina Estudo da História e Cultura Afro-brasileira e Indígena nos estabelecimentos de ensino fundamental e de ensino médio, públicos e privados. Diante do exposto o Projeto Pedagógico do Curso de Geografia da Universidade Estadual de Alagoas /UNEAL, essa que tem como objetivo maior a formação de professores, apresenta a Disciplina Geografia Afro-brasileira, como obrigatória, cuja carga horária é de 60 horas. Tomando por base a ementa da   disciplina em pauta se objetivou trabalhar vários temas que estão relacionados às questões da referida sociedade em território brasileiro e que ainda são pouco explorados ou ignorados nas escolas. Tivemos a pretensão de lançar o desafio dos alunos escreverem um livro cujo título é:  DISCUTINDO  E REESCREVENDO A GEOGRAFIA   AFRO-BRASILEIRA: relatos de  alunos do Curso de Geografia- UNEAL/Campus III abordando temas diversos sobre as questões citadas com o propósito de que leitores de modo geral e especificamente  professores de Educação Básica tenham acesso a essa proposta de conteúdos diversificados que possam serem utilizados como parâmetros para  possíveis  abordagens e discussões  durante o ano letivo e/ou em projetos desenvolvidos nas escolas.

ISBN: 978-65-81450-59-5

116 PAGÍNAS

PREFÁCIO

Gisely Martins da Silva

APRESENTAÇÃO

Ana Cristina de Lima Moreira

O NEGRO FRENTE À CULTURA DA ESTIGMATIZAÇÃO SOCIAL: AS VERTENTES DA INFORMAÇÃO E O IMPACTO GERADO

Rafaela Silva de Siqueira

A EXCLUSÃO SOCIAL DO NEGRO NO ESPAÇO URBANO

Bruna Leite da Silva

O NEGRO NO AMBIENTE EDUCACIONAL

Maria Franciele da Silva Cabral

URBANIZAÇÃO DAS ÁREAS QUILOMBOLAS - COMUNIDADE REMANESCENTEPAU D´ARCOARAPIRACA

Janaína Silva Rodrigues

A IMPORTANCIA DO NEGRO NA FORMAÇÃO DA CULTURA BRASILEIRA

João Gabriel da Conceição

O NEGRO E O FUTEBOL

Jorge Lucas Soares Alves

A PRESENÇA DO NEGRO NO CENÁRIO POLÍTICO BRASILEIRO

Rafaela Izidio da Silva Carvalho

A IMPORTÂNCIA DO PENSAMENTO DECOLONIAL E SUA INFLUÊNCIA NA PRÁTICA DOCENTE

Renata Tenório Cavalcante da Silva

O NEGRO APÓS A ABOLIÇÃO: UMA RELAÇÃO ENTRE O PASSADO E O PRESENTE

Zélia Pereira de Oliveira

A TRAJETÓRIA DO NEGRO NO BRASIL

Antonio Carlos Alves dos Santos

A EXCLUSÃO RELIGIOSA DO NEGRO

Carollaynne Lopes do Nascimento

MULHER NEGRA NAS MÍDIAS SOCIAIS: IDENTIDADE E RESISTÊNCIA

Ana Beatriz Pereira de Oliveira

A OBJETIFICAÇÃO DA MULHER PRETA NO BRASIL

Daniela Alice Teixeira de Araújo

APRENDENDO COM A CAPOEIRA

Beatriz Albuquerque de Oliveira

A CONTRIBUIÇÃO DO NEGRO NA FORMAÇÃO ECONÔMICA DO BRASIL

Adre de Lima Santos

O NEGRO E A ECONOMIA BRASILEIRA

Ricardo Ferreira da Silva

A POPULAÇÃO NEGRA ENCONTROU NA RESISTÊNCIA POR MEIO DA EDUCAÇÃO A SUA OPORTUNIDADE DE ASCENSÃO E LUTA CONTRA O RACISMO

Jeiciane Maria Santana da Silva

CANDOMBLÉ: ENTRE A LIBERDADE E O PRECONCEITO

Vanessa Catarina Alves de Lima