3D - #52 LUCAS.jpg
LOGO GPHIAL.png

SER E VIVER

JIRIPANKÓ:

identidade, pertencimento e ritual

LUCAS EMANOEL SOARES GUEIROS

O grupo étnico Jiripankó habita a zona rural do município de Pariconha, Sertão do estado de Alagoas. Desde a sua origem no século XIX, os seus membros têm recebido fortes influências do contexto regional, estabelecendo intensos contatos com os não-índios e realizando uma série de trocas de costumes sociais que os levaram a reelaboração de suas práticas culturais. Trata-se de um povo que construiu e ressignificou sua identidade a partir de sua relação com outros grupos étnicos e a sociedade nacional, marcando assim a produção da alteridade, delineada por um sistema simbólico vigente no interior da comunidade indígena. Essa obra é constituída por dois eixos discursivos: o primeiro, caracterizado por historicizar a origem e reconhecimento étnico do povo Jiripankó; o segundo, assinalado pela produção de uma etnografia que teve como objetivo analisar o ritual indígena de pagamento de promessa denominado “Menino do Rancho” e os seus significados na perspectiva de identificá-lo como processo de fortalecimento étnico e elemento característico da identidade Jiripankó. Esse evento religioso é um pagamento de promessa que se encontra vinculado à cosmologia e as divindades indígenas, sendo a sua realização revestida por significados, simbologias e regras que apenas os índios conhecem e socializam nas espacialidades sagradas da comunidade. A discussão desse livro está ancorada em um estudo bibliográfico a partir das obras de autores como Clifford Geertz (1989), Claudia Mura (2013), Fredrik Barth (1976, 2000), João Pacheco de Oliveira (1998, 2004), José Arruti (1995, 1996, 2006), José Peixoto (2018), Joël Candau (2012), Maria Celestino de Almeida (2010), Maurice Halbwachs (2003), Martin-Barbero (1997), Michael Pollak (1989, 1992), Norbert Elias e John Scotson (2000), Pierre Nora (1993), Stuart Hall (2006) e Ulf Hannerz (1997), em conjunto com outros pesquisadores que realizaram abordagens a respeito da função dos ritos e costumes, conceitos de memória e identidade, patrimônio cultural e populações indígenas no Nordeste. O embasamento teórico encontra-se em consonância com as pesquisas de campo realizadas a partir do método de observação participante durante visitas à aldeia indígena. O estudo bibliográfico deu suporte teórico e metodológico que orientou as etapas da pesquisa de campo, permitindo uma investigação empírica do evento religioso e como sua execução e os espaços sagrados manifestam a memória coletiva e fortalece a identidade étnica. Além das linhas descritivas e do conjunto de narrativas indígenas, o leitor terá acesso a um corpo imagético, fruto do acervo fotográfico do autor, que o permitirá ter uma referência visual dos espaços sagrados e das personagens que fazem parte da performance ritualística, evidenciando, assim, a composição etnográfica do livro resultante da investigação e interpretação que o autor faz sobre um dos modos de ser e viver Jiripankó pautado na religião e cosmologia indígena.

ISBN: 978-65-87192-10-9 - VERSÃO DIGITAL

Nº DE PÁGINAS: 243