3d.png

A REPRESENTAÇÃO SOCIAL DO KANAIMÎ, DO PIYA’SAN E DO TARENPOKON

MANOEL GOMES RABELO FILHO

O presente trabalho constitui, originalmente, uma dissertação no campo das Ciências da Religião, mais especificamente traz aspectos culturais dos povos indígenas Macuxi para entender as características das religiosidades em duas malocas. As representações sociais coletadas por meio das entrevistas trazem respostas acerca de Pajés, Rezadores e Kanaimés, na tentativa de entender os contextos vividos, as dificuldades enfrentadas, as doenças combatidas e principalmente as condições que nos fazem entender as principais fontes das religiosidades indígenas. Os rituais trazem as significações da espiritualidade na qual as personagens analisadas trazem sensações de medo, possibilidade de cura ou conforto. O objetivo final da realização ritual é a saúde, o que traz o livramento dos feitiços e a solução de diversos problemas espirituais. As representações sociais são falas acerca de sujeitos que tentamos identificar. Numa proposta bem ampla, esta obra representa uma configuração de como os Macuxi pensam sobre os sujeitos sociais aqui tratados – O Pajé, o Rezador e o Kanaimé.  Macuxi é o povo que vive ao longo dos rios Branco, Uiraricoera, Tacutu e Surumu. Local que envolve as regiões de parte de Roraima (Brasil), Venezuela e Guiana. Em sentido amplo, os povos envolventes como os Ingarikó, Taurepang, Wapichana, Waiwai, entre outros, se relacionam com os Macuxi de forma bem próxima, tendo mitos, histórias e cultura comuns.