COM OS ÍNDIOS:
PADRE ALFREDO DÂMASO, OS FULNI-Ô E AS MOBILIZAÇÕES INDÍGENAS NO NORDESTE

DEISIANE DA SILVA BEZERRA

Certa vez li um artigo escrito pelo professor Walber Gonçalves de Souza, da PUCMINAS, sobre a forma como o conhecimento transforma a vida. O autor discutia sobre o século XXI ser considerado o “século do conhecimento” e como o acesso a este bem tinha se popularizado nos últimos anos, não só pela explosão da internet, quanto pelo acesso a outros meios como canais de televisão, publicação de livros, revistas científicas e genéricas, maior circulação de jornais impressos e digitais, abertura de universidades e de escolas nos recantos mais remotos e antes inacessíveis... Apesar disso, ele enfatiza que a humanidade parece viver em uma selva e não saber o que fazer com a informação acessada. Pensando nisso, começo a perceber que informação e conhecimento nem sempre marcharam juntos e isso se percebe nos mais variados campos da vida e do saber. Agora, em minhas mãos tenho uma obra muito rica em informação, escrita após um longo e cuidadoso processo apropriação e ressignificação do conhecimento e outra vez me pego pensando no artigo do professor Walber e em quanta sabedoria tem nas suas palavras ao afirmar que a informação só terá valor e importância se o conhecimento a ela agregado o transformar em um ser humano melhor. Concordo com tal afirmação e volto para o livro que ora tenho o orgulho de apresentar. Este livro é fruto, repito, de muita informação e conhecimento acessados e interpretados por uma pesquisadora comprometida com a causa que estuda, dedicada a promover o bem-estar social e sobretudo, uma profissional movida pelo ser (essência) e pelo saber (dom). Neste livro “Com os índios: Padre Alfredo Dâmaso, os Fulni-ô e as mobilizações indígenas no Nordeste” a professora e pesquisadora Deisiane Bezerra apresenta uma valorosa contribuição ao movimento indigenista brasileiro através da coleta, articulação, análise e publicização de informações selecionadas que usou para produzir o arcabouço da sua dissertação de Mestrado em História, pela Universidade Federal de Campina Grande e, nesse momento, presenteia o leitor com um profícuo conhecimento sobre a atuação do Padre Alfredo Pinto Dâmaso no processo de mobilizações indígenas. Afirmar que temos em mãos a informação transformada em conhecimento, implica reconhecer como a pesquisadora descreve a forma como o padre articulou seus saberes e fazeres, em uma ação mais política do que religiosa (inverso do que era de se esperar da sua condição de sacerdote) para articular o processo de reconhecimento étnico e prestar assistência oficial aos Carnijó/Fulni-ô, de Águas Belas, no interior de Pernambuco, entre as décadas de 1920 e 1950.
A obra descreve, também, algumas das mobilizações indígenas realizadas no Nordeste contemporâneo como desdobramento das condições sociais e dos contextos políticos que impulsionaram as reivindicações daqueles indígenas. A escrita articula informação e conhecimento quando apresenta a forma como os Fulni-ô estabeleceram uma rede de articulações e de alianças com autoridades civis, militares e religiosas, a partir da mediação do religioso. Em uma escrita leve, fascinante e Objetiva, a professora Deisiane Bezerra realiza uma cuidadosa e competente apresentação das relações construídas entre os indígenas, o religioso e o Serviço de Proteção aos Índios – SPI e como tais relações levaram a criação do Posto Indígena Dantas Barreto, naquele aldeamento e impulsionaram a mesma ação em outras aldeias de indígenas em Pernambuco, em Alagoas e na Bahia. A pesquisa que instrumentalizou a escrita deste livro foi realizada a partir de amplo percurso metodológico, compreendendo estudos bibliográficos, pesquisa documental em fontes primárias e secundárias, realização de entrevistas, produção de fotografias, observação participante, visitas técnicas a memorial, museu e consultas a acervos documentais, o que transforma a introdução deste livro em um modelo metodológico a ser seguido. Retorno ao início dessa apresentação, onde fiz referência a importância da informação ser transformada em conhecimento, ação que, a pesquisadora desenvolveu em três (03) capítulos articulando o processo de afirmação étnica dos Carnijó/Fulni-ô e a intermediação do Padre Alfredo Pinto Dâmaso às condições sociopolíticas que desencadearam mobilizações em busca do reconhecimento étnico daquele povo e fomentaram ações análogas no Nordeste. O primeiro capítulo traz uma descrição do ambiente social, das articulações políticas e das práticas culturais que fomentaram a necessidade de organização e desenvolvimento de alianças entre os indígenas da etnia Carnijó/Fulni-ô, o religioso e algumas autoridades, nos anos de 1920 e 1950, impulsionando o reconhecimento étnico daquele grupo e uma maior atuação do Padre que se converteu no principal responsável pela escrita de um novo capítulo da história indígena do Nordeste. O segundo capítulo, escrito a partir das informações coletadas em ampla documentação, evidencia a rede de relações construída estrategicamente pelos Fulni-ô, com a mediação do Monsenhor Alfredo Dâmaso, destacando os contextos que gestaram as relações estabelecidas entre tais partes. A autora faz digressões importantíssimas para tecer o panorama da época e regressa à contemporaneidade com a discussão sobre as dinâmicas que possibilitaram a aproximação entre os índios e o Estado, ação necessária para atenuar as tensões e minimizar o contraste. O terceiro e último capítulo faz uma abordagem sobre o papel desempenhado pelo Padre Alfredo Dâmaso com o intuito de articular e incentivar os processos de mobilização dos indígenas, o que justifica a sua escolha como mediador entre os Fulni-ô, o Estado e a sociedade envolvente. Tais alianças políticas são descritas, pela pesquisadora, como propulsoras das condições que culminaram com reconhecimento étnico e desenvolvimento, posterior, de ações em defesa da causa indígena, se convertendo em potencial conhecimento que instrumentalizou vários outros povos indígenas do Nordeste na busca pelas mudanças, visibilidades e conquista de direitos. Este livro é um exemplo de como a informação convertida em conhecimento pode transformar vidas. Basta que tenhamos a consciência do seu poder e aplicabilidade, assim como fez o Padre Alfredo Dâmaso ao trilhar um caminho inóspito, em uma época de pouco acesso e circulação de saberes, para ser voz do povo Fulni-ô em espaços por eles inatingíveis. Da mesma forma, a pesquisadora Deisiane Bezerra nos oferece o seu olhar e suas análises sobre uma parcela tão importante da história indígena e nos instiga a uma transposição do conhecimento adquirido como forma promoção social e de evolução humana. Aventure-se, a leitura nos liberta da pior prisão.

 

 

Palmeira dos Índios, 03 de junho de 2020.

Prof. Dr. José Adelson Lopes Peixoto

UNEAL-GPHIAL 

© 2019 por Editora Olyver | CNPJ: 33.742.240/0001-10 | Inscrição Estadual: 24303379-6

E-mail: editoraolyver@gmail.com | Contatos: 82 9 8707-5673 | 82 9 98174-5648

  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black Instagram Icon